Bomba e CO2

A bomba de bicicleta é uma das ferramentas mais básicas e obrigatórias de se ter.

Apesar disso, muitas bombas não tem a qualidade mínima necessária, então, nós montamos este guia para lhe orientar em sua compra.

Tipos de bombas de bicicleta

Bomba de Chão (Bomba de Pé)
Todo ciclista deveria ter uma bomba de chão decente em casa. Este tipo quase sempre oferece uma longa mangueira flexível, manômetro e câmara grande para rápida transferência de ar.

Bomba Manual Portátil (Mini Bomba)
Bombas portáteis são projetadas para emergências ou uso ocasional e, portanto, são compactas e leves.

A questão principal é que essas bombas estressam a haste da válvula, levando eventualmente a vazamentos de ar. Existem bombas no mercado que adicionam uma mangueira flexível para solucionar esse problema, mas você continua bombeando mais tempo do que faria com uma bomba de chão e, em muitos casos, não é capaz de atingir a pressão ideal.

Bomba de Quadro
Efetivamente, bombas manuais mais longas são mais eficientes. São projetadas para caber dentro do triângulo de um quadro de bicicleta.

Infladores de CO2
Você pode inflar seus pneus rapidamente com dióxido de carbono comprimido. Geralmente utilizado em competições em estrada ou trilha, porque os cartuchos são caros e não reaproveitáveis. Um cartucho comum de 16g irá inflar um pneu padrão de 700 x 23c para cerca de 100psi.

Bomba de Shock
Uma bomba de shock é projetada para produzir uma pressão incrivelmente alta, perfeita para o bombeamento preciso da suspensão, porém, só é necessária se a sua bicicleta de montanha tiver suspensão a ar

Se você possui uma mountain bike com suspensão pneumática, vale a pena investir em uma bomba de shock. Esse tipo geralmente tem uma pressão máxima de 300psi, permitindo que você obtenha a pressão correta e, em seguida, ajuste-a com precisão.

Outras opções:

Você também pode considerar um compressor de ar ou uma bomba de ar operada por bateria, que é muito popular entre os mecânicos profissionais. Seu formato lembra uma furadeira elétrica, é leve e prática, mas sua pressão máxima é limitada e as boas são bem caras.

Os compressores de ar são a opção de escolha para os mais preguiçosos, são muito barulhentos e os usuários, com o tempo, preferem ir até um posto de combustível calibrar os pneus do que ligar o compressor.

Coisas a considerar ao comprar uma bomba de bicicleta

Pressão necessária
Poucas pessoas realmente precisam de uma bomba que vá até 260 psi, até mesmo um mountain biker profissional provavelmente não precisa de mais de 40 psi. Bombas de pressão mais alta tem como diferencial a precisão do medidor, e algumas marcas oferecem modelos de bombas específicas para ciclismo de estrada ou de montanha.

Volume necessário
Bombas de alto volume vão exigir menos golpes para alcançar a pressão desejada, mas geralmente significa uma pressão máxima menor.

Como os pneus de MTB têm um volume muito maior (e menor pressão), uma bomba de grande volume é mais importante. Se você tiver pneus sem câmara, uma com saída maciça de volume pode ser suficiente para inflar um pneu sem a necessidade de um compressor de ar.

Precisão do medidor
Poucas bombas manuais incluem um medidor, mas qualquer bomba de chão decente deve ter. Procure um indicador que seja fácil de ler e ofereça uma faixa de pressão adequada às suas necessidades. Os medidores são geralmente mais precisos no meio da faixa, então se você está tentando inflar com precisão um pneu de MTB entre 23 e 25 psi, você precisará de um medidor com baixa precisão de pressão (ou apenas um medidor de pressão separado).

Cabeças de bombas e tipos de válvulas
Presta (bico fino) e Schrader (bico grosso) são os dois tipos de válvulas mais comuns. Quase todas as bombas hoje em dia servem para essas válvulas.

Algumas bombas são específicas do tipo de válvula, outras devem ser trocadas internamente para caber em várias válvulas. Uma cabeça de válvula dupla terá dois slots separados para cada válvula, enquanto uma “cabeça inteligente” se ajustará automaticamente aos vários tamanhos de válvula. Depois, há o estilo thread-on, que oferece um ajuste confiável, mas precisa ser “invertido e alterado”, dependendo da válvula desejada.

Tamanho
Se sua bomba vai ficar em casa, o tamanho não será de grande preocupação. Mas se você planeja leva-la para um passeio, isso é um fator importante na sua decisão. As minibombas cumprem a função de inflar um pneu, mas são obviamente limitadas no volume de ar.

Peso
Assim como o tamanho, o peso não é uma preocupação se a bomba for deixada em casa, mas se você quiser levá-la consigo, não vai querer nada pesado demais.

As bombas mais caras são feitas com alumínio leve ou fibra de carbono, mas há muitas opções de plástico que são perfeitamente aceitáveis também. Não troque o baixo peso por algo que não seja adequado às suas necessidades, mas, ao mesmo tempo, não adianta levar peso extra se você não precisar.

Construção
A qualidade da construção de uma bomba está frequentemente de acordo com o seu preço e, em geral, quanto mais cara, mais metal ela contém. Para as bombas de chão, as opções mais baratas são de plástico, porém elas se flexionam e oscilam sob uso pesado, acabando por quebrar.

Facilidade de Manutenção
Isso geralmente se aplica às bombas mais caras, o que pode ser visto como um investimento de longo prazo. A maioria das principais marcas oferecem peças de reposição para manter sua bomba em perfeito estado. As peças sobressalentes mais importantes são as juntas da cabeça e da válvula, uma vez que estas se desgastam e começam a vazar. Não compre uma bomba cara se as peças de reposição não estiverem prontamente disponíveis.